Há aproximadamente 150 anos que se produz vinho nesta propriedade...

… mas somente a partir de 1988 é que o seu actual proprietário, Júlio Bastos, começa a comercialização a nível nacional e internacional dos vinhos então produzidos nesta Quinta, os famosos Garrafeiras de 1985, 1986 e 1987, que sempre foram reconhecidos pela sua grande qualidade.

Em 1992, Júlio Bastos, pretendendo assegurar o seu crescimento e, ao mesmo tempo, o escoamento da produção, vende 50% da Sociedade Agrícola Quinta do Carmo aos Domaines Barons de Rothschild (Lafite). É nessa altura que a antiga adega é transferida da Quinta de Dona Maria ou Quinta do Carmo para a Herdade das Carvalhas, propriedade essa que, a partir dessa data passou a pertencer à Sociedade.

Nunca tendo deixado de pensar em voltar a fazer o seu próprio vinho, foi na entrada do novo milénio que surgiu essa oportunidade. Júlio Bastos decide então vender a sua participação na Sociedade Agrícola Quinta do Carmo, e recomeça este novo projecto, os vinhos Dona Maria.

Em 2003 faz-se a primeira vindima de uma nova etapa na longa vida desta Quinta, cujo conceito, é a produção de vinhos de qualidade aliado a um projecto familiar, que sempre distinguiu esta propriedade ao longo dos tempos.

Desde o inicio deste projecto, os vinhos Dona Maria têm sido bastante reconhecidos, não somente pelo público em geral, como também pelos líderes de opinião. A nível Nacional o mesmo se repete.

Júlio Bastos, recebeu no ano de 2009 a distinção de “Produtor do Ano” pela prestigiada “Revista de Vinhos”, assim como vários prémios de Excelência.