Há aproximadamente 150 anos que se produz vinho nesta propriedade, mas…

… somente a partir de 1988 é que o seu actual proprietário, Júlio Bastos, começa a comercialização a nível nacional e internacional dos vinhos então produzidos nesta Quinta, os famosos Garrafeiras de 1985, 1986 e 1987, que sempre foram reconhecidos pela sua grande qualidade.

Em 1992, Júlio Bastos, pretendendo assegurar o seu crescimento e, ao mesmo tempo, o escoamento da produção, vende 50% da Sociedade Agrícola Quinta do Carmo aos Domaines Barons de Rothschild (Lafite). É nessa altura que a antiga adega é transferida da Quinta de Dona Maria ou Quinta do Carmo para a Herdade das Carvalhas, propriedade essa que, a partir dessa data passou a pertencer à Sociedade.

Nunca tendo deixado de pensar em voltar a fazer o seu próprio vinho, foi na entrada do novo milénio que surgiu essa oportunidade. Júlio Bastos decide então vender a sua participação na Sociedade Agrícola Quinta do Carmo, e recomeça este novo projecto, os vinhos Dona Maria.

Em 2003 faz-se a primeira vindima de uma nova etapa na longa vida desta Quinta, cujo conceito, é a produção de vinhos de qualidade aliado a um projecto familiar, que sempre distinguiu esta propriedade ao longo dos tempos.

Desde o inicio deste projecto, os vinhos Dona Maria têm sido bastante reconhecidos, não somente pelo público em geral, como também pelos líderes de opinião.

A nível Nacional o mesmo se repete. Júlio Bastos, recebeu no ano de 2009 a distinção de “Produtor do Ano” pela prestigiada “Revista de Vinhos”, assim como vários prémios de Excelência.

The vertical and the older vintages here were poured at the winery in Alentejo. Considering the relative youth of this operation—although owner Julio Bastos personally has a long and storied history in the region—these rounded into form quickly and are well on their way to becoming a top label in the region, if they aren’t already! Mark Squires (December, 2012)